domingo, janeiro 6

Estrelas


Com um punhado de estrelas oferecidas pelo teu coração,
Visto a minha alma
Pleno de um puro branco.
Cravo no meu peito através dos séculos,
A desperdiçada chuva prateada das lágrimas de felicidade
Que ficaram por verter em ti
E caíram pelos bosques da vida.
Agora a mística neblina da manhã guiada pelo sopro do destino,
Acaricia todos os dias o nosso ninho construído com os ramos da eternidade,
Que passa diante do universo,
De todos os olhos.
Onde escondo os meus
Que buscam,
O abrigo dos teus lábios
O sabor dos teus beijos,
O calor dos teus braços,
O aroma da tua pele,
A paisagem do teu corpo
Que cativa o meu amor que esta impregnado do teu.

1 Comments:

Blogger su said...

A minha alma será pasto das estrelas...caminho aberto até à tua...sereno encostar de coração onde a sede de ser tua se sacia completamente nas savanas do teu olhar.
Com os ramos da tal eternidade o amor chove em nós como estrelas ardentes que nos marcam, contudo, serenamente, como luzes um do outro...no caminho do cantinho que construímos os dois...

Um beijo...sempre dos nossos...

21:36  

Enviar um comentário

<< Home