sábado, setembro 8

A Mesma Pedra


A suavidade sublime,
Do céu azul, mesmo da noite mais oculta, de ti, do teu amor,
Do calor de uma carícia,
Que resplandece em meu mar,
E reflecte o teu sorriso,
Até nas rochas e no sal,
Onde saboreio a tua sublime beleza imortal.
Deste um novo rumo à minha vida,
Onde submerges incessantemente,
E nos banhamos felizes,
Neste mar infinito,
Onde nascem rosas,
Na mesma pedra que somos.

4 Comments:

Blogger su said...

A mesma pedra entrelaça-se
Como se extensões de sentimentos se se tratasse
Ao abrigo da passagem do Tempo
Percorremos as linhas do mesmo Beijo
Eternamente renovado ao sabor do desejo
O testemunho intemporal desperta as nossas almas
A cada toque que deixamos um no outro
Como impressões digitais
que nascem da vontade do nosso olhar.


xxx

Conjugas, como sempre, a harmonia entre o som, as palavras e a imagem...

Um beijo...dos nossos...sempre...

19:11  
Anonymous Princesa said...

"Na mesma pedra que somos..."
Nem sei bem porquê, mas gostei particularmente da metáfora!

Abraço de Princesa
www.espelhos.blogs.sapo.pt

10:55  
Blogger su said...

A pedra, testemunha milenar do Tempo, pode ser a raíz que nos eleva no Amor.

02:30  
Blogger su said...

...e AGORA o círculo é completo...
Recomeça, perfeito, através do Tempo, onde estaremos os dois num só...

04:47  

Enviar um comentário

<< Home